top of page

O ícone Jane Birkin

por Guilherme Marrara


Jane Birkin nos deixou. A atriz, cantora e musa faleceu no último domingo (16/07), aos 76 anos, após anos de luta contra um câncer. E para homenageá-la, te contamos aqui 11 fatos sobre a sua vida e obra!



01 – Uma das maiores responsáveis pelo estilo effortless francês, Jane na verdade era britânica. Em 14 de dezembro de 1946, Jane Mallory Birkin nasceu em Londres e foi criada no Chelsea. Apenas nos anos 1970 foi que ela se mudou para a França.


02 – Jane teve três relacionamentos emblemáticos: com o músico John Barry, com o cantor francês Serge Gainsbourg e com o diretor Jacques Doillon. E com cada um deles, ela teve uma filha: com Barry, a fotógrafa Kate Barry (que faleceu em 2013); com Gainsbourg, a atriz e cantora Charlotte Gainsbourg; e com Doillon, a it-girl Lou Doillon.


03 - Jane protagonizou o primeiro nu frontal em uma produção britânica. Em 1966, ela fez uma participação no filme "Blow-Up” e ficou completamente nua. E a cena que entrou para a história do cinema, chocou a sociedade da época.


04 – Ao longo de sua carreira musical, Jane lançou 17 álbuns diferentes. Mas a sua parceria mais icônica é a canção “Je t'aime … moi non plus” com o então marido Gainsbourg. Eles trabalharam juntos durante muitos anos e a canção chegou a ser banida de alguns países como Brasil e Portugal por ser muito explícita!


05 – Falando em música, Jane tem uma parceria com um cantor brasileiro: Caetano Veloso. Juntos, eles gravaram uma versão do sucesso dele “Leãozinho” para o disco dela de 2004, Rendez-vous.


06 – Ao longo de mais de 6 décadas, Jane atuou em mais de 70 filmes. Dentre eles, alguns fracassos – como ela mesma se refere – e vários sucessos, como “Je t'aime... moi non plus”, de 1976 (que leva o mesmo nome da música ícone) e “La fille prodigue”, de 1981.


(Reprodução/Instagram)

07 – Ao longo de sua vida, Jane marcou o universo fashion com seus looks. Vestidos curtos e românticos, pés descalços, a franja – que se tornou sua marca registrada – jeans e a famosa bolsa/cesta de palha que ela carregava para todos os lugares, de dia ou de noite.


08 – Com suas produções transparentes e com estilo próprio, Jane se tornou sex symbol e ajudou a propagar o estilo francês de se vestir, tão memorável e desejável nos dias de hoje.


09 – Em 2018, Jane cantou e performou no desfile da Gucci de primavera-verão 2019. A surpresa foi quando ela levantou da primeira fila e subiu ao palco para cantar o sucesso “Baby Alone in Babylone”.


10 - Nos últimos anos, Jane se dedicou a causas humanitárias e trabalhou com a Anistia Internacional no bem-estar dos imigrantes e na epidemia de HIV/AIDS, em países como Bósnia, Ruanda, Israel e Palestina.


11 – Por último e mais importante de tudo: a bolsa Birkin foi batizada em sua homenagem. Em uma viagem de Paris a Londres, na primeira classe, ela derrubou todo o conteúdo da sua bolsa-cesta no chão e reclamou, para o “vizinho” no assento ao lado, que tinha dificuldade em achar uma bolsa para o dia-a-dia. O vizinho era ninguém menos que Jean-Louis Dumas, herdeiro e presidente da Hermès, que ao ouvir a história, perguntou a ela como deveria ser uma bolsa ideal. E assim, ele levou essas informações para a equipe de criação da Hermès, que deu vida à famosa e desejada Birkin Bag.


Je t'aime, Jane! <3

(Reprodução/Instagram)



61 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page